5.ELEMENTOS CLIMÁTICOS

Os elementos do clima são os atributos básicos que servem para definir o tipo climático de uma determinada região como a temperatura, a umidade e a pressão atmosférica.
1- A umidade está relacionada à quantidade de vapor de água presente na atmosfera em determinado instante e pode ser expressa em valores absolutos ou relativos:



  • A umidade absoluta do ar é a quantidade (em gramas) de vapor d'água.









  • A umidade relativa do ar é obtida através da relação entre a umidade absoluta (a quantidade de vapor de água do ar) e o ponto de saturação (a quantidade máxima de vapor de água que o ar consegue reter), em determinado local e momento. Ela é expressa em porcentagem (%). Quando, na atmosfera, a umidade atinge o ponto de saturação, ela libera água que cai sobre o solo em forma de chuva ou outros tipos de precipitação.



    2- A pressão atmosférica é a força provocada pelo peso do ar sobre uma superfície, cujo valor é expresso milibares (mb). Em regiões onde as temperaturas são mais baixas a pressão atmosférica é maior, pois as moléculas de ar estão mais concentradas. No entanto, em regiões mais elevadas, de menor temperatura, também há menor concentração de moléculas de ar (ar mais rarefeito) e, neste caso, menor será a pressão.
    3- A temperatura, medida em graus Celsius (ºC), registra o calor da atmosfera de um lugar, cuja variação depende da sua localização e da circulação atmosférica.

    TIPOLOGIA DOS ELEMENTOS 







    Influência das massas de ar no Brasil
    Massa equatorial continental (mEc) – Originária da Amazônia ocidental, área de baixa latitude e muitos rios. É uma massa de ar quente, úmido e instável. Atinge praticamente todas as regiões durante o verão no hemisfério sul, provocando chuvas. No inverno, a mEc recua e sua ação fica restrita à Amazônia ocidental.

    Massa tropical atlântica (mTa) – Também de ar quente e úmido, origina-se no Atlântico sul. Atua na faixa litorânea e é praticamente constante durante todo o ano. No inverno, a mTa encontra a única massa de ar frio atuante no Brasil, a mPa, cujo encontro provoca as chuvas frontais do litoral nordestino. No Sul e Sudeste, o encontro da mTa com as áreas elevadas da serra do Mar provocam as chuvas orográficas.

    Massa polar atlântica (mPa) – De ar frio e úmido. Atua principalmente no inverno. Em virtude das baixas altitudes da área central do território brasileiro (planaltos rebaixados), no inverno essa massa chega a atingir a Amazônia ocidental, e provoca baixa de temperaturas. Como dito acima, essa massa encontra a mTa no litoral do Nordeste no inverno, provocando as chuvas frontais.

    Massa equatorial atlântica (mEa) – Massa de ar quente e úmido. Atua principalmente durante a primavera e o verão no litoral do Norte e Nordeste. Conforme avança para dentro do país, perde a umidade.

    assa tropical continental (mTc) – Origina-se na região do Chaco, Paraguai, que é uma zona de altas temperaturas e pouca umidade, que a torna a única massa de ar quente e seco. Também provoca um bloqueio que detém as massas de ar frio, normalmente nos meses de maio e junho.










    Correntes marítimas
                                    


    Correntes importantes
    Golfo – Leva o calor à costa atlântica da Europa;
    Humboldt – Esfria a costa oeste da América do Sul e atrai peixes, pois suas águas são ricas em plâncton. Durante o El Niño, desaparece e, com isso, as chuvas aumentam na região.
    Japão – As correntes Kuro Shivo (quente) e Oya Shivo (fria) agem em conjunto, amenizando a temperatura e atraindo cardumes. Por isso, o Japão é um pólo pesqueiro.  










    TIPOS DE CHUVA

     Frontal
    A mais comum em todo o mundo. Resulta do choque entre uma massa de ar quente e uma massa de ar fria. Por ser mais pesado, o ar frio faz o ar quente subir. Chega um ponto em que o ar quente se condensa e forma a precipitação.
       


     Convectiva
    Formada pela ascensão vertical do ar que, contendo muito vapor de água, se condensa e se precipita.
                                          


     Orográfica
    Ocorre quando a massa de ar encontra uma barreira natural. Ela é obrigada a ganhar altitude, e então sofre condensação e precipitação.










    Tipos de Nuvem


     

      Tipos básicos de nuvens






  • Cirros Nuvens altas com aspecto fibroso e frágil.
    CúmulosNuvens de desenvolvimento vertical, brancas e fofas como flocos de algodão.
    Estratos Nuvens baixas em forma de camadas horizontais.
    Além disso, há os Nimbos, nuvens escuras que provocam chuvas e tempestades.
                      





  • Um comentário:

    1. Muito obrigado, estava precisando desta postagem...
      abraços!

      ResponderExcluir